Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Homem, de 36 a 45 anos



Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
o ator imaginário


De Passagem

De Passagem pelo Rio de Janeiro.
Noite de Hotel.
Trabalhei com o grande ator Walmor Chagas. Tenho muito respeito por ele e pelo atores carregam consigo alguns segredos
da profissão. É o grande ator que faz o ator. Não existe papel. Existe uma necessidade de expressar. Isto ele disse em algumas palavras.
Vi nele o desejo de jogar, de fazer, de participar e de que nossa função seja digna e respeitada. Isto por que no cinema é muito difícil conseguir
juntar todo o elenco. Experimentar, estudar, dialogar com o processo criativo. O ator quer saber por que ele tem que fazer aquilo que lhe pedido
e gosta de fazer por inteiro e não apenas pela metade. Hoje por circunstâncias além das minhas possibilidades tivemos que fazer um ensaio com apenas parte do elenco.
O que não é satisfatório. Faltaram, e não por culpa delas, três atrizes que participam da cena que estávamos ensaiando e ele com razão reclamou. Quase deixou o ensaio mas por carinho
e respeito pelos atores presentes ficou.
Ele me havia dito que gostava de ser dirigido. E tem que ter personalidade para dirigir alguém como ele.
Só vendo para entender.

Faz parte da meu trabalho viajar. Estou na estrada desde maio.
Talvez por isso me entrego muito as pessoas com que trabalho. Elas passam a fazer parte da minha vida.
Depois parto...e pratico o desapego.
Pelas notícias que tenho recebido tudo está indo bem na Bahia.
Sei que por lá formei atores.
Abraço para meus amigos de lá.



Escrito por Christian Duurvoort às 20h42
[] [envie esta mensagem] []



Palestra e Curso


Palestra dia 18/10 às 15h lá no AIC.

Aqui em Florianópolis bastante frio...sou friorento e qualquer 15ºC já é um desespero.
Uma ilha modifica as pessoas. O mar é a liberdade mas também o desconhecido que encerra as pessoas na terra limitada.
Aqui é muito bonito se bem que não passo muito tempo na rua. Como tenho pouco tempo e está frio prefiro o calor da sala de ensaio
e do hotel de onde escrevo.
A Bahia está na minha saudade. Os Capitães estão voando com que aprenderam e compreenderam deste processo.

Em São Paulo dei um curso que foi muito interessante e proveitoso.
Como alcançar a concentração necessária sem desgaste e sem fazer esforço desnecessário?
O que é drama? O que é personagem?
Qual a função do ator?

Vou continuar deixando essas perguntas em aberto. Vou responder na palestra se alguém me perguntar.
Aqui estamos fazendo um trabalho acelerado mas ao mesmo tempo denso.
Drama familiar. Um lugar perdido no tempo....era uma vez...
Por ser tão idílico faço tudo para não ser romântico.
Os atores já foram escolhidos e já conheciam o roteiro.
O diretor se diz confiante e confiar neles. Tudo parece tão calmo e equilibrado.
Deve ser o efeito ilha, o efeito paraíso na terra...
então eu sou o monstro. Faço desta história um momento solar.
Se temos tudo para sermos felizes por que não somos?
O que é normal? A miséria humana ou a felicidade.
Por que nos espinhamos ao invés de irmos de vez?
Por que geramos a dependência mútua.
A história não é tão saudável assim. Nem a vida tem tantas explicações.
Ela existe e está acontecendo numa harmonia e na dissonância.
Às vezes no compasso e às vezes no compasso.
Eu quero que vc me olhe...e lhe dou as costas para que veja como te quero.
Nem tão psicológico assim.
Enfim...
Estou no meio da criação. É uma história que caminha em cima do muro...só não sei até onde.
Isso é problema do diretor. Os atores e eu somos as pessoas que vamos lidar com o problema. Essa é a nossa função.

Aproveitem a oportunidade que esse ano não tem mais curso em SP.



Escrito por Christian Duurvoort às 18h14
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]